Por muito tempo a mídia online trouxe soluções focadas apenas no mundo digital. Antigamente, as campanhas online se limitavam a resultados digitais como número de impressões, cliques, visitas ao site, etc. Durante este período, o poder de mensuração da mídia online parecia um sonho para o varejo físico, que concentra mais de 90% do comércio, mas nunca conseguiu ter a mesma variedade de métricas como o e-commerce.

Com a chegada do mobile tornou-se possível o acesso à internet enquanto comprávamos no mundo físico. Mas, até então, o e-commerce era o maior beneficiado desse novo cenário, já que viabilizava a possibilidade de comparação de preços e até mesmo de finalizações de compras de qualquer lugar, incluindo as lojas físicas da concorrência .

E foi nesse cenário que nos questionamos: como trazer o modelo de mídia de performance para o mundo físico? Como garantir que campanhas com foco em vendas no mundo físico tivessem o mesmo poder analítico da mídia digital?

Então, nos propomos a atender uma necessidade que há tempos vem sendo demandada pelos anunciantes: mensurar com precisão o impacto de campanhas publicitárias nos pontos de venda físicos por meio do CPV (Custo por Visita), modelo de comercialização que garante que os anunciantes só paguem se o consumidor visitar a loja física depois de ser impactado pelos anúncios mobile.

Na prática, uma marca de tênis esportivos, por exemplo, poderá utilizar a tecnologia de geolocalização indoor para impactar a audiência que frequenta ou que esteja em academias, eventos esportivos, lojas de suplementos alimentares ou de materiais esportivos.

Além da oportunidade de impactar o público certo na hora certa, os anunciantes que adotarem o CPV só pagarão pelos anúncios que geraram visitas físicas para o ponto de venda.

O CPV revoluciona o mercado de mídia de performance porque gera um resultado mais palpável para varejistas, que não precisarão se apoiar apenas em métricas como número de cliques e impressões para medir o impacto de uma campanha digital nos seus estabelecimentos físicos.

Isso só reforça um dos valores que levo comigo para a vida: “qualidade antes de quantidade”. No caso do CPV a qualidade está no número de visitas às lojas e não no volume de usuários impactados pela marca. Afinal, fluxo de visitas gera muito mais valor às marcas do que métricas puramente digitais.

O lançamento do CPV, além de ser um marco no meio publicitário por unir o online e o offline, chega em um momento de alto impacto para quem trabalha no ramo: a Black Friday. É a oportunidade perfeita para gerar valor e trazer resultados para as marcas e agências em todo o Brasil.